Conheça a história da “guria do tempo”.

Conheça a história da “guria do tempo”.

5 de janeiro de 2017

38 Capa copyDesde novembro do ano passado um novo rosto vem conquistando os gaúchos com o seu jeito de menina simples e carismática. A Vanguarda bateu um papo com a Brunna Colossi (27), natural de Alecrim, noroeste do Estado, a nova garota, ou melhor, “guria do tempo” da RBSTV.

A proximidade da Brunna com a Fronteira Oeste vai além dos mapas pelos quais ela nos mostra todo o dia a previsão do tempo. A jornalista cursou a faculdade em São Borja, na Universidade Federal do Pampa. Em 2010 concluiu o curso e quatro meses depois já encarou o mercado de trabalho.
Mas o gosto pelo jornalismo foi uma descoberta da infância. “Desde criança uma das minhas brincadeiras favoritas era apresentar programas de TV. Passava horas entrevistando minhas amigas, cantando e me divertindo. Ainda no ensino fundamental decidi pelo jornalismo e desde então é a única coisa que me imagino fazendo”, conta.
Brunna já entrou na faculdade com o pensamento focado no telejornalismo, mas sempre aberta e curiosa para todas as outras inúmeras possibilidades dentro da profissão. Mesmo assim, nada a conquistou mais do que a ideia de um dia poder trabalhar na TV, estar junto das pessoas, conhecendo e contando histórias novas e inspiradoras.
“Saí da faculdade cheia de vontade, mas confesso que com pouca experiência, principalmente na área de TV. Antes mesmo de retornar de São Borja para Alecrim, passei em Santa Rosa na RBSTV e deixei meu currículo”, relembra.
E foi desta iniciativa que surgiu a primeira oportunidade na área tão sonhada. A jornalista passou a trabalhar como freelancer durante as férias de colegas da emissora em Santa Rosa. “Foram quatro meses de puro aprendizado e aí a paixão me pegou. Depois disso tive certeza que era assim que queria passar meus dias”, revela.
Depois da experiência, uma vaga surgiu na sucursal da RBSTV de Santo Ângelo, e lá se foi Brunna mais uma vez seguindo o caminho do seu sonho. Cinco meses em terras missioneiras e a jornalista retornou para mais dois anos na emissora em Santa Rosa, um período definido por ela como “uma escola de jornalismo”.
O mais fantástico da profissão, são as pessoas que encontramos e as que caminham e dividem tempo e conhecimento com a gente. Tive grandes mestres em Santa Rosa, foi lá que aprendi a ser jornalista”, afirma.
Mas como na vida as mudanças são necessárias, chegou o dia em que a jornalista teve que decidir por encerrar mais um ciclo para topar um novo desafio, desta vez, Caxias do Sul. “O convite me deixou dividida. Era preciso deixar minha terra, meus amigos, colegas, família… para viver uma vida nova, longe dali. Mas também era a chance de eu crescer, pessoal e profissionalmente. Talvez essa tenha sido a decisão mais difícil até agora, mas foi fundamental”, aponta.
Quatro meses na serra gaúcha e Brunna passou de repórter à editoria e apresentadora do RBS Notícias local, uma confirmação de que a escolha tinha valido a pena. Mas ela não esquentou a cadeira por muito tempo, e por um motivo que a faz muito grata hoje. Um ano em Caxias e a guria do interior se foi de “mala e cuia” para a capital apresentar a previsão do tempo no Jornal do Almoço.
“A sensação de estar aqui, ao lado de pessoas tão incríveis, profissionais que sempre foram e continuam sendo referência pra mim, é enriquecedora. Estou feliz e me esforçando, buscando aprender a cada dia pra dar o meu melhor”, diz.
A responsabilidade que a jornalista conquistou é grande. Todo o dia ela busca informações, analisa mapas, conversa com os meteorologistas, tudo para apresentar as informações de forma mais clara e correta para os telespectadores.
“Estou profissionalmente realizada, pois considero todos os momentos e oportunidades profissionais sempre bem vindas. Elas nos fazem crescer, evoluir, nos desafiam e nos deixam mais fortes. Estar ao lado de pessoas como a Cristina Ranzolin, que eu sempre admirei, e entrar na casa de milhares de gaúchos todos os dias, é uma baita responsabilidade e uma honra pra mim”, reforça.
Nessa vida um pouco nômade, as escolhas acabaram aumentando a distância entre a profissional e a família, a quem ela confessa ser muito apegada. Brunna conta que foi muito complicado sair de casa. Nos primeiros meses longe só pensava em voltar, mas com as novas amizades e o foco no trabalho, tudo ficou mais tranquilo. Hoje lidar com a saudade é bem mais simples.
“Em qualquer folguinha, corro pro colo deles: pai, mãe, mana e mano! Eles sempre acreditaram em mim, são corujas e me dão força. Podem até não concordar com todas as minhas decisões, mas sempre apoiam meus sonhos e comemoram todos os passos comigo”.
O coração da jornalista também tem espaço para outro admirador especial, o namorado Guilherme Chaves, que é alegretense. O namoro começou ainda na faculdade e apesar do vai e vem de Brunna, segue firme e forte até hoje. “Ele sempre me incentivou a crescer, a aceitar os desafios e a lutar pelos meus sonhos. É um grande parceiro”, se orgulha.
Nessa caminhada que, apesar de ainda ser pequena, mas parecer longa por conta de tantas experiências diferentes, Brunna aprendeu a valorizar o presente, vivendo um dia de cada vez. “Hoje estou focada no meu trabalho, nessa oportunidade nova. Meu objetivo é conquistar a confiança e a simpatia de quem está em casa. Quero ser respeitada pelo meu trabalho e é claro, quero viver uma vida tranquila ao lado de quem eu amo”, deseja.

Por Gabriella Oliveira, publicada em março de 2016, edº9. Foto de arquivo pessoal.

Comentários